Quarta-feira, 18 de Março de 2009

379

Hoje terminei uma relação de dez anos. Não custou muito, porque era uma morte anunciada, mas estas coisas de "terminar" fazem sempre alguma confusão a pessoas como eu que sempre que se envolvem, fazem-no na esperança de ser para sempre e dão o melhor de si para aguentar a relação.

Os três filhos ficam com a mãe. Afinal, já não os via há muito tempo e davam mais despesa do que propriamente benefício. A mãe, como forma de se vingar do fim que quis impôr à relação, decidiu continuar a sugar o meu dinheiro até onde pode.

A situação estava a tornar-se incomportável, porque quando nos aproximamos de alguém, a pessoa mostra-nos uma imagem daquilo que é, e expõe-nos as regras do jogo que está disposta a jogar. Com o avançar do tempo e com a expectativa que depositamos na eternidade da relação, ela acaba por se aproveitar desses pontos fracos e altera unilateralmente as regras, começando a limpar-nos tudo o que temos.

Durante alguns anos tolerei que ela me fizesse isso, mas acabei por constatar que já não havia amor e que só estava com ela pelo conforto que me proporcionava e pela forma como facilitava as coisas. Começar uma relação com outra não é nada fácil, mas vai ter que ser...

Vejo as relações com as pessoas da mesma forma como vejo as relações com instituições, comércio, etc: se aceito algum desafio é para ir até ao fim e é para fazer tudo na esperança de que dure "para sempre". Mudar tudo e esperar que eu continue lá e ainda por cima dizer que não sou compreensivo porque não entendo estas mudanças, não me parece de todo justo. É incorrecto que alguém se aproveite das nossas fragilidades para nos obrigar a girar à sua volta. As relações querem-se equilibradas, ainda que a balança penda sempre para um dos lados. Ainda assim, convém não abusar e não espezinhar o outro. Eu não tolero isto nem pessoas, nem em nada!

Hoje acabei uma relação de dez anos com um Banco. Os três filhos são os três cartões que tinha dele. Não, não tinha dívidas, nem recorria ao cartão, daí não lhes dar a atenção que eles desejariam. Não gosto que se tentem aproveitar de mim, nem da minha boa fé. Dei muitas oportunidades à relação para que tudo se endireitasse, mas a outra parte queria que eu continuasse a girar à sua volta e a servi-la. Lamento, estou noutra, e como os bancos são como as mulheres, há muitos, nada como tentar uma nova relação com um diferente, para ver no que dá. No fim disto tudo, mantenho para os bancos a mesma esperança que mantenho para as mulheres, esperando que aquele velho provérbio "são todas iguais" não passe de uma tremenda heresia.

publicado por diariodeumfrustrado às 20:15
link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Marta a 18 de Março de 2009 às 23:06


Acredita deixaste-me completamente baralhada até meio do post. Olha como se costuma dizer para melhor muda-se sempre.

Beijinhos

Gostei mesmo do tom positivo deste post
De diariodeumfrustrado a 19 de Março de 2009 às 11:01
Andar de cavalo para burro é que não :)

Beijinhos
De Gipsi a 18 de Março de 2009 às 23:39
Bancos há muitos, mas não diferem uns dos outros ... de qualquer forma se procuras alternativas posso sugerir um, onde trabalho ;=)
De diariodeumfrustrado a 19 de Março de 2009 às 11:02
Posso confiar no Banco em que trabalhas? Como são as despesas de manutenção e os cartões? Ora venha de lá a tua sugestão... por mail, se puder ser :)
De Mulher a 19 de Março de 2009 às 00:28
Não são todas iguais.
Apenas ainda não encontraste "aquela"....
Mas sim, irás encontrar mais cedo ou mais tarde, se também fizeres um pouco por isso!
De diariodeumfrustrado a 19 de Março de 2009 às 11:03
Eu não quero acreditar que sejam todas iguais, tal como os bancos. Um dia encontro não a mulher perfeita, porque não existe, mas a mulher ideal!
De ToXico a 19 de Março de 2009 às 10:44
Cá estou outra vez, desta feita para te convidar a visitares-me e a aceitares o meu desafio, de certeza que me vais surpreender!...
De Fada a 19 de Março de 2009 às 21:24
Boa noite " Homem Mistério "

Assustas-te meio mundo lol com os teus tres filhos lol...o Sr. Rodrigo com uma relação de 10 anos e tres filhos , tudo é possivel nesta vida lol ...

Gostei do teu sentido de humor no final deu bem para rir ..Quanto as mulheres todas iguais , não creio somos todos iguais mas diferente acredita que é bem verdade e os bancos é a mesma coisa ....

Por isso , Acredita que a tua princesa esta bem algures ..Acredita em ti...

Beijo
De Moon_T a 24 de Março de 2009 às 00:19
Nos bancos, como nas relaçoes, como em tudo, aprendemos com os nossos erros.
Erramos
e aprendemos
unicamente para que da proxima vez erremos de forma diferente
De acriativa a 30 de Março de 2009 às 21:59
Ainda estou agarrada á barriga
Muito bom! como diria o outro: bancos (chapeús) há muitos!
Não te preocupes... as mulheres para ti são todas iguais... para mim são os homens que são todos iguais... é só uma questão de prespectiva
bj grande

Comentar post

Eu

pesquisar

 

Setembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Recente

438

437

436

435

434

433

432

431

430

429

Lágrimas passadas

Setembro 2015

Dezembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

tags

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds