Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008

320

Esta situação de ter amigos relacionados intimamente com bailarinas de clubes nocturnos faz-me confusão, mas apenas num dos casos. O tipo era certinho, tinha valores e tinha sonhos e, subitamente, diz que acordou para a vida, porque andava enganado e deitou todos esses "mitos" fora. Agora, diz que nem por 5 minutos pensa no que poderá estar a fazer à namorada, ainda que acredite que ela nunca o traiu. Creio que ele está basear-se no tal princípio "trai ou serás traído". Faz-me alguma espécie lidar com ela, estarmos todos juntos e ver aquele ar de felicidade que rodeia o grupo e no fundo saber que a moça tem a cabeça enfeitada. O problema é que não posso dizer ao meu amigo para deixar a outra tipa, senão sou imediatamente acusado de ter inveja da situação em que ele está e de "não comer, nem deixar comer". Salvo melhor solução, optei por lhe dizer que com as mulheres que não estão habituadas a receber amor, carinho e gentileza (como metáfora para as stripers e prostitutas, ainda que existam milhões de mulheres nesta situação que não são nem uma coisa nem outra), o melhor é estar uma ou duas vezes com elas e depois abandonar o barco antes que elas se apeguem e não queiram largar mais.

De início ele disse-me que sim, que seria só duas vezes para tomar o gosto. Quando dei conta... já tinha perdido a noção do número de vezes em que eles estiveram juntos. Acresce que ele cometeu um erro crasso que nunca se deve cometer em "alta competição", vulgo, neste mundo de stripers, brasileiras, mulheres alucinadas, etc: começou a revelar alguns dados da sua vida e a esclarecer alguns mitos da sua história de cobertura que permitiu que ele chegasse até ela. Ele começa a crer que a tipa está de boa fé, quando todos temos a perfeita noção que ela se aproximou dele quando começou a julgar que ele tinha dinheiro. Agora a tipa envia-lhe dezenas de mensagens por dia e começa a ficar obcecada por ele. Eu avisei-o sobre continuar nesta situação. Estou para ver o dia em que ela vai querer saber onde ele trabalha (e até nem vai ser difícil descobrir isso), vai esperá-lo ao local de trabalho e, quiçá, segui-lo.

Confesso que também já tive os meus "dias de glória", mas deixei-a passar, cruzando os braços e perdendo o interesse. Não me encontro desesperado por sexo, apesar de gostar bastante de o fazer. Continuo a insistir na ideia que darmos prazer a nós próprios por vezes funciona melhor do que metermo-nos com alguém que poderá arranjar-nos problemas. Sei que algumas pessoas censuram estas fases em que por vezes nos encontramos e que nos levam a pensar "demasiado" em sexo. Prefiro fazer uma simples comparação: se a Madonna teve a sua fase "Erotika" e toda a gente gostou, porque é que eu não posso ter a minha fase "Pornografika" sem ser censurado? Tenho-a e gosto dela. Mas controlo-a. Andar a bater com a cabeça pelas paredes à procura de me montar em tudo o que mexe, não me parece ser uma solução eficaz para os meus conflitos interiores. Insisto que nem tudo se resume a sexo, apesar de tudo ir lá dar de uma forma ou de outra. Estes meus amigos bem me andam a tentar convencer a investir numa striper, mas recuso-me fazê-lo. Não tenho mesmo interesse nenhum nisso. Eu bem sei que eles começaram com aquela ambição de qualquer homem que se preze (e se algum disser que não, garanto que mente): "sacar uma striper". O problema é que depois começam a gostar da festa e "sacar a striper" começa a ser insuficiente. Há que ir mais longe e continuar a tirar prazer disso. Esquecem-se é dos problemas todos que surgirão mais tarde ou mais cedo.

A parte boa destas histórias todas é que nem consigo imaginar o número de casais que por aí andam para quem a vida parece ser um mar de rosas, e para alguns deve ser mesmo, mas lá no fundo está escondido um mundo de mentiras, ilusões e falsidades. Se quero uma relação assim? Quero estar sozinho porque a mim conheço-me, faço-me boa companhia e não conheci até hoje ninguém que estivesse à altura daquilo que eu quero partilhar com alguém. Apesar de ter fases menos boas, prefiro conhecer pessoas, sem pensar se são elas as mulheres da minha vida, apenas aproveitar uma boa amizade e se algo surgir no futuro, tudo bem. Se não surgir, não há drama. Insisto na ideia que o importante é conhecer gente positiva. Agora, ter alguém só por ter e depois andar a passar por estas situações? Não, obrigado. Mais não seja porque não consigo enganar e manter uma vida dupla cheia de jogos e caprichos.

publicado por diariodeumfrustrado às 10:19
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Balzaquiana a 8 de Dezembro de 2008 às 12:20
Interessante este desabafo.
Mas sinto muita desilusão no ar.....
Não vou fazer juízos de valor em relação às stripers ou outras: são profissionais do ramo e ninguém se meta a competir com elas.
Agora que um homem se sinta feliz e realizado é que não atinjo.....mas eu até sou balzaquiana e acredito nos sentimentos.Sexo como modalidade desportiva nunca entendi.
Coisa de mulher. só pode.
Mas isso é outra história.
De Isa_ a 8 de Dezembro de 2008 às 17:43
lol.. vou ver se junto um grupo de amigas e vamos começar o jogo da "caça ao homem", pena q n haja tantos homens stripers qto mulheres!.. conheço um gajo q sacou uma striper, agora ela faz-lhe visitas na prisao e isso p ele é um autentico momento de gloria, até os policias ficam c ciumes, pudera!..
adoro os teus textos, continua assim! cya***
De executivo_chanfrado a 8 de Dezembro de 2008 às 19:15
Tou com a balzaquiana.
Somo 42, nunca na minha vidita utilizei as profissionais da coisa e nunca as hei-de utilizar. ´
E quando em mais novo andava á mingua... pois sempre gostei muito de fazer amor comigo próprio.
Se não nos respeitarmos a nós...
De Balzaquiana a 8 de Dezembro de 2008 às 19:59
Narcisista
De executivo_chanfrado a 8 de Dezembro de 2008 às 21:09
Ná, ná...
Entre fazer exercicio com um "aparelho" pagando ou fazê-lo de graça com a minha manita...
É isso que se faz com as "pró" não é? Exercicío.
De Balzaquiana a 8 de Dezembro de 2008 às 21:20
Treinos....
De antiego a 18 de Dezembro de 2008 às 17:24
LOL. Sacar uma stripper não é fantasia, é mau gosto mesmo. Já tive a ocasião de as ver e YAARGHHH (numa casa muito falada).

O ambiente é xunga xunga xunga. E elas também. Mas há gostos para tudo e nem todos são homens muito machos.

Comentar post

Eu

pesquisar

 

Setembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Recente

438

437

436

435

434

433

432

431

430

429

Lágrimas passadas

Setembro 2015

Dezembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

tags

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds