Segunda-feira, 17 de Março de 2008

179

Fez esta 6.ª feira uma semana que ia no comboio e vejo uma tipa a olhar para mim. Anda na mesma faixa etária que eu, mais ano, menos ano. Inocente como sou, olhei para ela, pois julguei que estaria a olhar para mim por me conhecer. Não me lembrava. E concluí que realmente não a conhecia.
Veio a olhar para mim o tempo todo. No final, saímos na mesma paragem, e entrámos no metro. Saiu duas estações antes de mim. Antes de sair, olhou para mim e sorriu. Fiquei perplexo, mas não reagi. Ao sair, voltou a olhar para mim e voltou a sorrir.
Todos os dias se tem vindo a passar a mesma coisa. Nunca reagi antes porque apesar dela ser uma mulher simples e bonita, tinha namorada e amava alguém. Se amava e estava com outra pessoa, para quê dar confiança às outras? Por esse motivo nunca lhe respondi com um sorriso que fosse. Tenho valores, sou fiel e se precisasse de olhar para outra, era sinal que aquela com quem estava não me enchia as medidas.
Hoje, estando livre, apanhei o comboio do costume (atenção que sempre o apanhei à mesmo hora, mesmo quando a menina não ia nele). Estava com cara de "defunto", dado que durante toda a noite só dormi meia hora. Ainda sinto a dor de tudo o que aconteceu, mas sinto-me também aliviado. Aos poucos tudo vai passando e com amigos como os que tenho, e colegas de trabalho, tudo passa num instante.
Para todos os efeitos, ia com cara de "defunto" e a menina hoje olhou-me com um ar de tédio e revirou os olhos. Depois desta reacção, não lhe dei bola. Virei as costas. É a Lei de Murphy: o pão cai sempre no chão com o lado que tem a manteiga. Quando estamos comprometidos, todas nos olham e tentam meter conversa, etc. Quando estamos sozinhos, voltamos ao anonimato. Dinheiro atrai dinheiro e mulher atrai mulher. Mesmo assim, há sempre aí uma que se mostra interessada, mesmo que não se manifeste muito.
Apesar do que aconteceu hoje, vou dar uma segunda oportunidade à menina do comboio. Antes de mais, vou procurar estar mais apresentável e não aparecer cheio de olheiras e pálido. Vou como deve ser. Depois vamos ver a reacção dela. Se voltar a não ter reacção, paciência. Outras andarão por aí. Claro que não vou atrás da primeira que aparece. Vou esperar, com calma. Elas ANDEM aí! E não são todas iguais. Sim! Acredito que existam por aí algumas que se aproveitem, bonitas, inteligentes e com valores e a serem maltratadas como eu. É só uma questão de oportunidade e perseverança. Tudo menos ficar a afogar mágoas por alguém que não vale a ponta de um chaveiro. Isso é que não.

publicado por diariodeumfrustrado às 20:04
link | comentar | favorito

Eu

pesquisar

 

Setembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Recente

438

437

436

435

434

433

432

431

430

429

Lágrimas passadas

Setembro 2015

Dezembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

tags

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds